© 2017 - Cognitiva Londrina

Quando devo fazer uma avaliação Neuropsicológica?

      Ouvimos muito as pessoas dizerem que sua atenção, memória ou organização, por exemplo, não andam bem. Fatores como estresse, alterações no sono e algumas doenças de outra natureza (que não neurológica ou psiquiátrica) podem interferir nessas funções de forma passageira. Além disso, a quantidade de estímulos a que estamos submetidos podem interferir de modo a acreditarmos que deveríamos estar nos desempenhando sempre melhor.

       Se essas dificuldades estiverem interferindo no funcionamento da sua rotina, de modo a atrapalhar seu trabalho, sua interação com as pessoas ou mesmo as atividades que realiza em casa, pode ser que um neuropsicólogo, após uma entrevista, indique que você faça uma avaliação, para verificar se há de fato dificuldades nessas funções em relação ao esperado para sua idade e no caso de haver, qual a intensidade e características delas.

    A maior parte dos pedidos de avaliação neuropsicológica que recebemos vem de outros profissionais da área da saúde (neurologistas, psiquiatras e fonoaudiólogos, por exemplo) ou de escolas/ pedagogos. Estes profissionais costumam solicitar a avaliação para auxiliar em diagnósticos e/ou para realizarem um plano de tratamento.

Como é uma avaliação?

    A avaliação neuropsicológica é composta de uma entrevista com o paciente e/ou seus familiares, atividades que avaliam as funções cognitivas (memória e atenção, por exemplo, dentre outras) escalas que o paciente e/ou seus familiares respondem. Estas atividades são realizadas no consultório e não incluem nenhum tipo de exame invasivo. Ao final do processo o psicólogo elabora um relatório e faz a devolutiva aos interessados. Todo o processo envolve aproximadamente 5 a 7 sessões, mas pode variar de acordo com o caso.

Como é feita a reabilitação?

          Realizamos reabilitação neuropsicológica individual de pacientes que sofreram algum tipo de lesão neurológica. A reabilitação visa diminuir ou terminar o impacto das dificuldades cognitivas na vida do paciente, incluindo os problemas emocionais e comportamentais que essas dificuldades podem causar. No processo de reabilitação, a orientação e participação dos familiares é essencial. Portanto, o psicólogo atua junto aos demais profissionais que acompanham (se for o caso), seus familiares e o próprio paciente.